Profissão

19 de julho de 2014

Fisioterapia é eficiente: saiba como identificar se está sendo bem feita

Descubra quando não está recebendo um tratamento fisioterapêutico adequado e assim reivindique todo o seu direito de ser bem atendido




 Infelizmente já ouvi muitos comentários do tipo “fiz fisioterapia e não melhorei” ou “fisioterapia não funciona”. Então nesta coluna gostaria de, muito mais do que defender a minha profissão, alertar o leitor para que possa reconhecer quando não está recebendo um tratamento fisioterapêutico adequado e assim reivindique o seu direito de ser bem atendido.

O ultrasom, TENS (aquele aparelho que dá uma espécie de “choque”), laser, luz infravermelha, ondas curtas e outros equipamentos são recursos utilizados na fisioterapia para combater principalmente processos inflamatórios e dor. Porém o tratamento não pode se basear apenas no uso desses equipamentos pois será incompleto e não terá bons resultados a longo prazo.

Vamos olhar por exemplo um caso de síndrome da banda iliotibial, problema que gera dor na lateral do joelho de corredores. A causa principal dessa síndrome é uma fraqueza do músculo da lateral do quadril e um desalinhamento do joelho na corrida. O uso do TENS e do ultrasom irá diminuir a inflamação e melhorar a dor, mas não tratará a causa do problema. O tratamento só será completo e efetivo se o músculo que está fraco for fortalecido e houver a correção do desvio do joelho na corrida com exercícios educativos.

Não ter um atendimento individualizado e ficar passando de aparelho em aparelho não é fisioterapia de qualidade e o conselho regional de fisioterapia de São Paulo está até fazendo uma campanha de conscientização sobre esse assunto. Em publicação em uma de suas revistas desse ano o conselho orientou os profissionais a não utilizarem somente equipamentos em suas consultas e sim orientar exercícios aos pacientes para que a patologia seja tratada de forma específica e eficaz.

Cada problema exige um cuidado especial. De nada adianta o alongamento de panturrilha em um caso de síndrome do banda iliotibial. Exija uma avaliação e um tratamento individualizado e específico para o seu caso.

A fisioterapia é capaz de restaurar a função do corpo de maneira fantástica se aplicada da forma correta. O tratamento deve se basear no combate à causa do problema e não somente na diminuição dos sintomas. Desta forma os resultados são bons e duradouros.

http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/noticia/2014/04/fisioterapia-e-eficiente-saiba-como-identificar-se-esta-sendo-bem-feita.html



Comentários ()

30 de dezembro de 2016 às 02:19

X9TKxkVF disse:

I like this web site very much so much superb information. “The need to write comes from the need to make sense of one’s life and discover one’s use8slnesu.&#f221; by John Cheever.


Deixe seu comentário

Seu Nome:

Seu Email:




Leia mais

Aplicativo Android para fisioterapeutas



Dilma sanciona lei que altera o Simples Nacional

Sistema COFFITO-CREFITOs comemora mais uma conquista para a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional

O novo personal trainer: entenda porque o fisioterapeuta é tão importante quanto o seu coach de academia

Acionar o fisioterapeuta só em caso de lesão é ideia ultrapassada. Vogue mostra porque ele é tão importante quando seu personal trainer de todo dia



a Fisioterapeuta .com
Tendências da profissão de Fisioterapia. Debates e comentários sobre teorias, salários, especializações, vagas, empregos, concursos e muito mais
Projetado por Ronnan del Rey